Programação

Curso de História do Rio de Janeiro | O Rio do Samba - resistência e reinvenção

30 de junho de 2018 | 10h | Escola do Olhar

O curso faz parte do programa Arte e Cultura Visual da Escola do Olhar do Museu de Arte do Rio, e promove a cada edição uma imersão no panorama diversificado do pensamento contemporâneo sobre a história do Rio de Janeiro. Nesse ciclo relaciona-se com as discussões apresentadas na exposição O Rio do samba | Resistência e reinvenção.Neste ciclo abordaremos a história social do samba por meio de quatro encontros independentes e complementares, cada encontro se debruçará sobre um aspecto diferente da exposição O Rio do samba por meio de uma aula expositiva seguida de uma visita com o professor, com duração de 10h às 13h, aos sábados.  

16/06  - Aula 1 com Marcus Fernando
Marcus Fernando é pesquisador, produtor musical e cineasta. Integrou a equipe da exposição “O Rio do Samba: resistência e reinvenção”, sendo responsável pela supervisão de conteúdo. Produziu shows e discos de diversos nomes da música brasileira. Dirigiu o documentário “Torquato Neto - Todas as Horas do Fim” e a série de TV “Cale-se - a censura musical”.

23/06 - Aula 2 com Luiz Antonio Simas
Luiz Antônio Simas  - Mestre em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publicou em parceria com o caricaturista Cássio Loredano, pela editora Folha Seca, o livro "O vidente míope", sobre o desenhista J. Carlos e o Rio de Janeiro da década de 1920.  É coautor, ao lado de Alberto Mussa, do ensaio Samba de Enredo, História e arte, lançado pela editora Civilização Brasileira (2010). Publicou, na coleção Cadernos de Samba, o livro Portela – tantas páginas belas, pela editora Verso Brasil. Em 2013 lançou, pela Mórula Editorial, “Pedrinhas Miudinhas: ensaios sobre ruas, aldeias e terreiros". É ainda coautor do livro “As Titias da Folia”, sobre as escolas de samba cariocas. Lançou em 2015 o “Dicionário da História Social do Samba”, em parceria com Nei Lopes, e “Prá tudo começar na quinta-feira”, em parceria com Fábio Fabato.  Foi consultor de acervo da área de Música de Carnaval do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Foi jurado, em 2013, do Estandarte de Ouro . É colunista do jornal O Globo. Desenvolve atualmente o projeto Ágoras Cariocas, ligando educação, música popular e história dos bairros da Zona Norte do Rio de Janeiro, em parceria com o coletivo Norte Comum. Recebeu em 2014, por serviços prestados à cultura do Rio de Janeiro, o conjunto de medalhas da comenda Pedro Ernesto, conferido pela Câmara Municipal.

30/06 - Aula 3 com Carolina Rocha
Carolina Rocha - Possui experiência na área de História, com ênfase em história do Brasil, história das religiões e relações étnico raciais. Professora da Pós Graduação Estado e Relações Étnico Raciais na Universidade Castelo Branco. Possui graduação em história pela Universidade Federal Fluminense, concluída em 2010. Em 2013 concluiu o curso de mestrado em História Moderna pela mesma instituição. Atualmente cursa o doutorado em Sociologia no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, desenvolvendo pesquisas na área de sociologia urbana, com o projeto: A culpa é do Diabo: neopentecostalismo, tráfico de drogas e religiões afro em contextos de violência e demonização em favelas do Rio de Janeiro?. Desenvolve oficinas em escolas públicas sobre racismo, cultura afro-brasileira e intolerância religiosa. Criadora do projeto "Oficina de Escrita para Mulheres" que pretende refletir sobre as dificuldades históricas de escrita e publicação das mulheres, além de exercitar a escrita criativa como forma de superar traumas e tensões sociais. Recentemente publicou poesias e contos no livro Lâmina, pela Arte Sabali Edições, 2018. É pesquisadora da Coordenadoria Experiências religiosas africanas e afro-brasileiras, racismo e intolerância religiosa, vinculada ao Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER-UFRJ). Membro da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR) e do Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros (COPENE). Integrante do grupo Elas Existem ? mulheres encarceradas. Membro do Coletivo Feminista Virginia Leone Bicudo, do Coletivo Enegrecer, do Coletivo de Negras e Negros do IESP ? Marielle Franco. Áreas de interesse: racismo, gênero, religião, literatura e violência urbana.

07/07 - Aula 4 - Professor(a) a confirmar

>  Maiores informações das próximas aulas serão divulgadas em breve.
>  Número de vagas por aula: 100.
> Sábados, das 10h às 13h.
>  Caso o número de inscritos supere o número de vagas disponíveis, a Escola do Olhar procederá com processo de seleção a partir da exposição de interesses e motivações em relação ao curso.
Obs.: No ato da inscrição você receberá uma resposta automática que não garante sua vaga, caso seja selecionado a Escola do Olhar enviará uma confirmação por email.