E75C2269-25EE-4C44-8649-D842B506E0E2 Created with sketchtool.
PT
A+
40F48D74-0ABB-49BA-A923-C60ABF051698 Created with sketchtool.
4DB661F4-66CF-4EB3-963C-E4EBDDB94A68 Created with sketchtool.


Claudio Paiva – O colecionador de linhas

Claudio Paiva participou de um importante momento da arte brasileira, ao lado Cildo Meireles, Umberto Costa Barros, Antonio Manuel, Artur Barrio, Luiz Alphonsus entre outros. Mesmo com a produção ininterrupta desde seu surgimento, seu trabalho, entretanto, tem sido esporadicamente mostrado. Desde o final dos anos 60, estabelece seu campo de criação visual através da articulação de três esferas: o desenho, a palavra e o objeto.
Serão apresentados mais de 200 obras entre desenhos com suportes e técnicas variadas, instalações e videos, entre eles uma série de entrevistas inéditas com depoimentos sobre Claudio Paiva, lembranças afetivas por parte dos amigos que lhe acompanharam ao longo de sua vida.

Para o artista desenho é um projeto em si:
“Há um pacto entre os meios, entre a linha e a cor; se por um lado, o desenho quer ser cor, quer ser pintura; por outro lado o desenho não quer ser nada além da linha.” (PAIVA, Claudio, Niterói, 2001).

“A relação entre a palavra e o desenho cria uma nova imagem onde os papeis de deslocam. A palavra participa da elaboração da imagem e a imagem pretende desenhar a palavra: Desenho de uma palavra, é também o título de um de seus desenhos. Cria-se, então, um espaço topológico entre palavra e imagem, configuração de um singular espaço poético.” (BOMPUIS, Catherine, Rio de Janeiro, 2002, Catálogo da Exposição Armadilha para tempestade, pag. 2).

Desde o inicio de sua produção, Claudio realizou também diversas instalações, que posteriormente se transformaram em instalações de bolso. Cordões, velas, caixas de fósforo, fazem lembrar, de uma maneira leve, lúcida, e que é ainda possível a tudo transgredir, tudo renomear e recolocar instantaneamente com nada ou quase nada. Esses objetos híbridos: O descanso do paralelepípedo, O Colecionador de nada, Guerra fria, Lúcifer, O principio do prazer, formam uma coleção de pequenos paradoxos.

Curadoria: Evandro Salles e Catherine Bompuis.

Mais de 200 obras entre desenhos com suportes e técnicas variadas, instalações e videos, entre eles uma série de entrevistas inéditas com depoimentos sobre Claudio Paiva